Apneia do sono: causa oculta de hipertensão arterial

Uma condição que vem sendo melhor investigada nos últimos anos é a apneia do sono. Ela se caracteriza pela ocorrência de episódios recorrentes de obstrução total ou parcial das vias aéreas superiores levando a interrupção do fluxo de ar e a pausas respiratórias (apneias). Os fatores de risco principais são a obesidade, idade avançada e alterações anatômicas (por exemplo: amigdalas e adenoides aumentadas).

 

Os sintomas mais comuns são sonolência diurna excessiva, despertar noturno frequente, cansaço, irritação durante o dia (mau-humor), piora na qualidade da memória, roncos ruidosos, entre outros. Um problema é que muitas vezes isso passa desapercebido pelo estilo de vida atual de muitas pessoas, que pensam que estão apenas trabalhando muito e/ou estressadas.

 

Pesquisas demonstram que 30-50% dos pacientes com hipertensão resistente apresentam apneia obstrutiva do sono. Dessa forma muitas vezes ela é diagnosticada em situações de hipertensão arterial de difícil controle após investigação específica. O tratamento consiste no uso de um aparelho chamado CPAP (gera um fluxo de ar com pressão) e leva a melhora tanto da pressão quanto da sua qualidade de vida.

 

Então caso desconfiem de algum problema de saúde, mesmo sem entender do que se trata, procure seu médico e relate o ocorrido. As vezes sintomas considerados vagos podem ser a resposta para seu diagnóstico.